Nos Caminhos da Independência


registo | recuperar

Nos Caminhos da Independência

Da primeira vez na História em que dois reis se encontraram cara-a-cara no campo de batalha, Portugal levou a melhor. A Batalha de Aljubarrota foi o culminar de um processo que “roubou” o reino português a Castela e consolidou a sua independência, tudo graças à visão política superior do Mestre de Avis aliada à brilhante estratégia militar de D. Nuno Álvares Pereira, O Santo Condestável.  

Descrição

O Roteiro Completo dos Caminhos da Independência tem início na vila da Batalha, estendendo-se a outras localidades limítrofes. Iniciando-se no local onde, com mestria e brilhantismo, D. Nuno Álvares Pereira comandou as tropas do mestre de Avis à vitória sobre Castela, abrange ainda um conjunto de figuras, eventos e locais que, de alguma forma, se relacionam com o período de luta pela independência nacional face a Castela.

Guião

O Roteiro Completo dos Caminhos da Independência tem início na vila da Batalha, estendendo-se a outras localidades limítrofes. Iniciando-se no local onde, com mestria e brilhantismo, D. Nuno Álvares Pereira comandou as tropas do mestre de Avis à vitória sobre Castela, abrange ainda um conjunto de figuras, eventos e locais que, de alguma forma, se relacionam com o período de luta pela independência nacional face a Castela.

Itinerário / Pontos de Interesse

Mosteiro da Batalha

Batalha

Em frente ao Mosteiro existe uma estátua de D. Nuno Álvares Pereira montado a cavalo e pronto para combater. O Mosteiro foi erigido por D. João I de Portugal como agradecimento à Virgem Maria pela vitória na Batalha de Aljubarrota. Demorou dois séculos e sete reinados a ser construído, desde 1386 a 1517. A estátua foi inaugurada em 1967.

Campo Militar de São Jorge

Leiria

Foi aqui que Nuno Álvares Pereira conduziu, em 1385, as tropas de D. João I de Portugal à vitória contra o ataque de D. João I de Castela. Neste campo, situado a 2km a sul do Mosteiro da Batalha, soldados a pé foram capazes de derrotar equipas inteiras de cavalaria fazendo uso do seu conhecimento do terreno. Hoje, a Fundação e o Centro de Interpretação da Batalha de Aljubarrota, aqui situados, têm como missão celebrar e dar a conhecer aquele momento decisivo para a história de Portugal.

Capela de São Jorge

Leiria

Mandada erigir por D. Nuno Álvares Pereira em 1393, no mesmo local estratégico onde estaria o seu estandarte durante a Batalha de Aljubarrota, e como agradecimento pela vitória portuguesa, a Capela de São Jorge situa-se no Campo Militar de São Jorge.

Castelo de Leiria

Leiria

D. João I de Portugal celebrou aqui, em 1401, o casamento do seu filho D. Afonso, tendo dado início aos trabalhos de edificação dos chamados Paços da Rainha, ou Paços Novos. Foi também junto a este Castelo que acampou o exército castelhano, em 1385, na véspera da sua marcha para a Batalha de Aljubarrota.

Castelo de Porto de Mós

Leiria

O Castelo de Porto de Mós e as suas populações circundantes eram apoiantes da causa do Mestre de Avis, tendo o castelo servido inclusive como sítio de acampamento e de planeamento antes da Batalha de Aljubarrota, em 1385.