Portugal à Vista


registo | recuperar

Portugal à Vista

Num país de braços abertos para o mar, e com uma vasta história de navegação marítima, é e sempre foi essencial ter aquele elemento identificador que nos permita regressar a casa. A costa portuguesa cumpre o seu papel desde o século XVI, com cerca de 50 faróis distribuídos por Portugal continental e ilhas.

Descrição

O Roteiro Completo dos Faróis Nacionais conta com cerca de 50 faróis que se encontram distribuídos de norte a sul do país, e ainda pelas Ilhas. Num país cuja a costa, historicamente, teve um papel tão importante, sempre se revelou essencial ter algo que ajudasse que orientasse e guiasse os navegadores. Por isso convidamo-lo a conhecer melhor vários desses locais.

Guião

O Roteiro Completo dos Faróis Nacionais conta com cerca de 50 faróis que se encontram distribuídos de norte a sul do país, e ainda pelas Ilhas. Num país cuja a costa, historicamente, teve um papel tão importante, sempre se revelou essencial ter algo que ajudasse que orientasse e guiasse os navegadores. Por isso convidamo-lo a conhecer melhor vários desses locais.

Itinerário / Pontos de Interesse

Direção-Geral de Faróis

É o principal organismo de gestão dos faróis e da ajuda à navegação em Portugal. É responsável por 50 faróis, 338 farolins, 148 boias, 26 balizas, 35 sinais sonoros, 56 enfiamentos e 4 estações DGPS (Differential Global Positioning System), distribuídos pelo continente e pelos arquipélagos dos Açores e da Madeira.   Foi criada em 1924 em Paço de Arcos, Oeiras, e tem instalações multifacetadas, desde oficinas e centrais técnicas de formação de faroleiros até a espaços museológicos e de eventos culturais.

Farol de Montedor

É na freguesia do Carreço, em Viana do Castelo, que se situa o farol mais a norte de Portugal. Situa-se a cerca de 4 milhas náuticas a norte da foz do rio Lima e a 7 milhas a sul da foz do rio Minho, e tem um alcance luminoso de cerca de 41 quilómetros. Entrou em funcionamento em 1910 e possui uma torre quadrangular em cantaria de granito com 28 metros de altura e lanterna e varandim vermelhos, ladeada por um edifício anexo em forma de ‘U’.

Farol de Leça

Situado em Leça da Palmeira, Matosinhos, o Farol de Leça, ou da Boa Nova, é o segundo maior farol do país – com 46 metros de altura – e possui uma torre cónica branca em cimento armado com faixas estreitas pretas e vários edifícios anexos com um pequeno museu. A lanterna e o varandim são pintados de vermelho, e o seu sinal luminoso alcança cerca de 52 quilómetros.   Foi construído em 1926 entre as barras dos rios Ave e Douro, perto do Porto de Leixões.

Farol de Aveiro

O maior farol de Portugal e o segundo maior da Península Ibérica, o Farol de Aveiro (ou da Barra) fica localizado na Praia da Barra, na Gafanha da Nazaré. Com um alcance luminoso de cerca de 43 quilómetros, é constituído por uma torre tronco-cónica com faixas brancas e vermelhas e vários edifícios anexos. Foi construído em finais do século XIX.

Farol do Cabo Espichel

É no próprio Cabo Espichel, em Sesimbra, que se encontra este farol de 32 metros de altura que inovou ao longo dos anos em termos de iluminação, desde a sua inauguração em 1430 e da construção da sua torre atual em 1790. Tem um alcance luminoso de 48 quilómetros.

Farol do Bugio

É no Forte de São Lourenço do Bugio, em Oeiras, que se situa este farol com torre circular branca em cantaria com 14 metros de altura e lanterna e varandim vermelhos, com uma luminosidade de cerca de 28 quilómetros. A sua construção em plenas águas do Tejo, num banco de areia formado pelo assoreamento da foz do rio, garante-lhe caraterísticas únicas em Portugal e no mundo. Depois de quase um século de planeamento e obras, foi finalmente inaugurado em 1657.

Farol do Forte do Cavalo

Todo pintado de vermelho e disposto sobre a muralha, o farol situa-se no Forte de São Teodósio da Ponta do Cavalo, em Sesimbra. Tem uma torre cilíndrica de sete metros de altura erigida em 1895, bem como os alojamentos dos faroleiros que lá trabalhavam. A sua luz branca tem um alcance de cerca de 26 quilómetros.

Farol do Cabo de Sines

Composto por uma torre cilíndrica branca com 22 metros de altura e dois edifícios anexos, o Farol do Cabo de Sines, no Alentejo, tem um alcance luminoso de 48 quilómetros. Foi inaugurado em 1880.

Farol do Cabo Sardão

Proposto em 1883, e de difícil acesso, só entrou em funcionamento em 1915. O farol localizado na Ponta do Cavaleiro do Cabo Sardão, em São Teotónio, Beja, possui uma torre quadrangular branca de 17 metros feita em alvenaria. Tem um edifício anexo e uma lanterna cilíndrica vermelha com luminosidade que alcança os 43 quilómetros.

Farol de Vila Real de Santo António

De construção tardia por ser difícil o consenso em relação às reais condições do terreno arenoso onde foi instalado, o Farol de Vila Real de Santo António, no Algarve, só entrou em funcionamento em 1923. A sua torre circular, acompanhada por anexos, tem 46 metros de altura e uma luminosidade que alcança os 48 quilómetros.

Farol de Alfanzina

A torre quadrangular branca de 23 metros de altura e em alvenaria do Farol de Alfanzina, na Praia do Carvoeiro, na Lagoa, é encimada por uma lanterna cilíndrica vermelha. O farol, planeado e construído em 1913, tem um edifício anexo e uma capacidade de iluminação de até 54 quilómetros.

Farol da Ponta do Altar

No promontório da Ponta do Altar, em Lagos, encontra-se um farol com uma torre quadrangular branca de 10 metros embutida num anexo, com cunhais em granito aparente e lanterna vermelha. Construído em 1893, o farol tem uma iluminação que atinge os 30 quilómetros.

Farol do Cabo de São Vicente

Com uma torre cilíndrica de 28 metros feita em cantaria, e com edifício anexo, o Farol do Cabo de São Vicente, em Sagres, tem um potente alcance luminoso de 59 quilómetros. Entrou em funcionamento em 1846.

Farol da Ponta da Piedade

De torre quadrangular amarela – com cinco metros de altura e alvenaria – e lanterna vermelha, o Farol da Ponta da Piedade, em Lagos, foi inaugurado em 1913. Tem edifício anexo e um alcance luminoso de 37 quilómetros.

Farol do Cabo Mondego

É em Buarcos, na Figueira da Foz, que se situa o Farol do Cabo Mondego. Com uma torre quadrangular branca, de alvenaria, com 15 metros de altura e um varandim e uma cúpula vermelhos, tem um edifício anexo e um alcance luminoso de 52 quilómetros. Foi inaugurado em 1858.

Farol do Penedo da Saudade

A torre quadrangular de cantaria do Farol do Penedo da Saudade, construído em 1912, em Leiria, tem 32 metros de altura e farolim vermelho, e faz-se acompanhar por um edifício anexo revestido a azulejos castanho-avermelhados. Tem um alcance luminoso de cerca de 56 quilómetros.

Farol do Cabo Carvoeiro

Ex-libris do Cabo do Carvoeiro, em Peniche, o seu farol tem uma torre quadrangular de alvenaria branca, com lanterna e varandim vermelhos, de 27 metros de altura. É um dos mais antigos faróis da costa portuguesa, construído em 1790 e com um alcance luminoso atual de 28 quilómetros.

Farol da Berlenga

Em Peniche, o Farol da Berlenga (ou Farol do Duque de Bragança) tem uma torre quadrangular de 29 metros de altura feita em alvenaria branca, com edifícios anexos. A lanterna e o varandim vermelhos sustentam um potencial luminoso de 50 quilómetros. Foi concluído em 1841 e conta atualmente com peças museológicas na Direção-Geral de Faróis.

Farol do Cabo da Roca

O farol mais ocidental do continente europeu, situado na freguesia de Colares, em Sintra, o Farol do Cabo da Roca consiste numa torre quadrangular de alvenaria e com 22 metros de altura, forrada a azulejos brancos, com edifícios anexos e lanterna e varandim vermelhos. Foi construído em 1772 e tem uma luminosidade de cerca de 48 quilómetros.

Farol do Cabo de Santa Maria

O Farol do Cabo de Santa Maria, na Ilha da Culatra, em Faro, tem uma torre branca tronco-cónica de 46 metros de altura com esqueleto exterior em betão armado e farolim e varandim vermelhos. Foi inaugurado em 1851 e tem um alcance luminoso de 46 quilómetros.

Farol da Ponta da Ferraria

 Localizado na ilha de São Miguel, Açores, o Farol da Ponta da Ferraria tem uma torre prismática branca com 18 metros de altura e um edifício anexo. Foi criado em 1901 e tem um alcance luminoso de 50 milhas.

Farol da Ponta do Arnel

A nordeste da ilha de São Miguel, nos Açores, o Farol da Ponta do Arnel tem uma torre prismática branca com 15 metros de altura e cúpula envidraçada vermelha, com edifício anexo. Entrou em funcionamento em 1876 e tem um alcance luminoso atual de cerca de 46 quilómetros.

Farol de Gonçalo Velho

O Farol de Gonçalo Velho situa-se na ponta do Castelo, na freguesia do Santo Espírito, ilha de Santa Maria, nos Açores. Foi inaugurado em 1927 com uma torre quadrangular de 14 metros de altura em alvenaria de pedra. A lanterna, vermelha, alcança uma luminosidade de 54 quilómetros.

Farol da Ponta das Contendas

O Farol da Ponta das Contendas situa-se na ilha Terceira, nos Açores, e consiste numa torre prismática branca com cerca de 13 metros de altura, encimada por uma cúpula vermelha. Inaugurado em 1934, com edifício anexo, tem um alcance luminoso de cerca de 43 quilómetros.

Farol da Ponta da Barca

A noroeste na ilha Graciosa ergue-se a torre cilíndrica do Farol da Ponta da Barca, com 23 metros de altura e cor branca com listas cinzentas. Foi inaugurado em 1930, com edifício anexo, e tem uma luminosidade atual que alcança os 37 quilómetros.

Farol da Ponta da Ilha

Com uma torre prismática branca de 19 metros de altura, encimada por uma lanterna circular vermelha, o Farol da Ponta da Ilha, nas Lajes do Pico, nos Açores, tem um edifício anexo em forma de ‘U’. Foi inaugurado em 1851.

Farol da Ponta do Albernaz

O Farol da Ponta do Albernaz, em Santa Cruz das Flores, é o farol mais ocidental do arquipélago dos Açores e da própria Europa. Tem uma torre cilíndrica em alvenaria, pintada a branco, com 15 metros de altura, lanterna vermelha e edifícios anexos. Construído em 1925, tem um alcance luminoso de 41 quilómetros.

Farol da Ponta do Pargo

O Farol da Ponta do Pargo foi construído na Madeira em 1922 e tem uma torre com 14 metros de altura. Situa-se na região mais ocidental do arquipélago.