A importância dos recursos endógenos para o Turismo Militar


registo | recuperar

A importância dos recursos endógenos para o Turismo Militar

{titulo}

{titulo}

{titulo}

{titulo}

{titulo}

{titulo}

À conversa com o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha

Quando se fala em Vila Nova da Barquinha, falamos de património, história, paisagem e memória. Aqui encontramos um dos ex-libris da Ordem do Templo e dos Cavaleiros Templários – o Castelo de Almourol, fortaleza militar medieval, numa ilha cercada pelo rio Tejo, símbolo de prestígio e um marco na História de Portugal.

A Associação de Turismo Militar Português (ATMPT) conversou com Fernando Freire, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha (Figura 1), que nos falou dos principais focos do Município no que diz respeito ao Turismo e ao Património Histórico-Militar e da estratégia para um futuro risonho e um desenvolvimento sustentável.

Sendo Vila Nova da Barquinha, detentora de um vasto património, seja ele arqueológico, edificado, móvel, integrado, imaterial ou paisagístico (Figura 2), os dois principais focos do Município no que diz respeito ao Turismo Militar estão relacionados com a “(…) Ordem do Templo e de Cristo e, as três Unidades Militares presentes no Polígono militar de Tancos – Regimento de Engenharia n.º 1 (RE1) (Figura 3); Regimento de Paraquedistas (RP) (Figura 4); e a Brigada de Reação Rápida“, refere Fernando Freire.

O Castelo de Almourol (Figura 5) é a grande atração turística deste território, contando com 100.000 visitantes por ano, e um dos exemplos mais representativos de arquitetura militar, reconstruído por Gualdim Pais, Mestre da Ordem dos Templários. Mas tal como o Senhor Presidente afirma “(…) ninguém ama o que desconhece (e, portanto), dar a conhecer os nossos recursos endógenos é um dever imperativo, melhor, é uma obrigação de quem presta um serviço público”. Desta forma, foram realizadas obras de requalificação e musealização do Castelo de Almourol, em 2014, e recentemente, em 2018, melhoraram a ilha a nível paisagístico e de acessibilidade, e instalaram, ainda, um palco para espetáculos.

No final do ano de 2018, foi inaugurado o Centro de Interpretação Templário de Almourol (Figura 6), no Centro Cultural da Vila, dedicado exclusivamente ao tema dos Templários. O Centro é constituído por uma sala de exposição permanente, um espaço de exposição temporária e uma sala de projeção de filmes. Fernando Freire sublinha que o Centro “retrata realidades materiais e imateriais”. Quanto ao património material, estão expostos objetos originais, encontrados no Castelo de Almourol em 1898, por Gomes Teixeira, e várias réplicas. O Centro Cultural da Vila alberga, também, a Biblioteca – Arquivo Templário, que conta com cerca de 35.000 obras dedicadas à temática dos Templários, doadas por Teresa Furtado e Manuel J. Gandra.

O Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha menciona, ainda, que “Por outro lado, estamos a proceder à ativação turística e patrimonial dos acervos militares existentes nas unidades militares do Exército, de modo a que, com o Ministério da Defesa, possamos abrir os espaços museológicos que são pertença do RE1 e RP, bem como desenvolver o salto em paraquedas para civis (Tandem)”.

No Município da Barquinha pode, ainda, encontrar diversos espaços de lazer, culturais e históricos, como: o Parque ribeirinho; o Centro de Interpretação de Arqueologia do Alto Ribatejo (CIAAR); a Praça de Touros – a segunda mais antiga de Portugal, de 1853; a Igreja Matriz da Atalaia, classificada Monumento Nacional, com pórtico renascentista do séc. XVI; a Igreja Matriz de Tancos, fundada no século XVI; a Igreja da Misericórdia, de 1585, atual Centro Cultural de Tancos; e a Igreja Matriz da Praia do Ribatejo. Durante os meses de março e abril decorre a mostra gastronómica “Mês do Sável e da Lampreia”, e no mês de novembro, “À mesa com azeite”.   

Quando questionado sobre a importância do Turismo Militar na captação de novos públicos e no desenvolvimento do Turismo na região, Fernando Freire enfatiza que a história de Portugal, assim como todos os recursos a ela associados, agrega condições enquadradas nos atuais parâmetros de qualidade que permitem ajudar ao desenvolvimento uma nova imagem turística. Assim, a «imagem militar do país» apresentada em diferentes áreas territoriais, pode oferecer, novos polos de atratividade nacional. O Turismo Militar tem um potencial agregador do património histórico-militar de um povo que marcou civilizacionalmente a história mundial e neste quadro estamos perante um recurso estratégico pronto a ativar a favor da dinamização cultural e turística”. Neste contexto, Vila Nova da Barquinha prepara-se para, durante o próximo ano, iniciar obras de requalificação do Convento do Loreto, escavações no cais templário do Zêzere e, também, no Castelo do Zêzere (templário), na freguesia da Praia do Ribatejo (Payo de Pele).

A procura de visitantes no âmbito do Turismo Militar “(…) tem sido significativa, uma vez que o território está ligado «à coisa militar», menciona o Senhor Presidente, seja ao Castelo de Almourol e Centro de Interpretação, seja em contexto de celebração do Dia dos Paraquedistas e do Dia da Engenharia, ou visitas às unidades de ex-militares.

Relativamente às questões de salvaguarda e preservação do património histórico-militar, o Município tem recebido apoios, sobretudo, para o Castelo de Almourol, e por parte do Exército Português, na cedência de pessoal para intervenções no território e no empréstimo de material para as diversas exposições que vão sendo realizadas.

A grande prioridade de Vila Nova da Barquinha passa pela elaboração “(…) de um modelo de adequação das unidades militares do Exército ao domínio da visitação turística, atendendo às especificidades institucionais e operacionais das mesmas, contribuindo para um reforço da sua própria imagem a nível local, regional e nacional, assim como para a valorização territorial, quer do ponto de vista autárquico, quer empresarial, cultural e social”, sublinha o Presidente da Câmara, bem como a internacionalização no âmbito do Turismo Militar.

O principal objetivo do Município é abrir as portas destas unidades aos visitantes, sem comprometer as questões operacionais, trabalhando em conjunto com as Forças Armadas, para que a herança cultural, histórica e militar nacionais perdure.

A ATMPT convida-o a visitar Vila Nova da Barquinha e a apaixonar-se pela sua História. Faça parte da História de Portugal.