Pontos de Interesse


registo | recuperar

Pontos de Interesse

Castelo de Elvas

Elvas

Quando os castelhanos cercaram esta praça-forte, a peste causava 300 mortes por dia, e o povo passava fome enquanto esperava o socorro que levou à Batalha das Linhas de Elvas. Destaque

Muralhas seiscentistas de Elvas

Elvas

O povo e os cavaleiros que se defendiam por detrás destas muralhas durante o cerco castelhano sofriam diariamente. A peste causava 300 mortes por dia, e os habitantes passavam fome enquanto esperavam o socorro que levou à Batalha das Linhas de Elvas. Destaque

Forte da Graça

Elvas

Num dos pontos mais altos da região, o local foi utilizado pelo exército castelhano que aproveitou a localização para apontar baterias contra a cidade, durante o cerco que precedeu a batalha das Linhas de Elvas. Destaque

Muralhas e Praça Elvas

Elvas

O povo e os cavaleiros que se defendiam por detrás destas muralhas durante o cerco castelhano sofriam diariamente. A fome, a peste e a espera causavam centenas demortes por dia, enquanto o exército português se organizava para socorrer a praça de Elvas.

Conselho de Guerra

Elvas

O local onde se tomaram decisões sobre quando e onde atacar as praças castelhanas. Aqui foram decididas as manobras estratégicas de todo o exército português.

Sé de Elvas

Elvas

Na Sé de Elvas rezou-se pelo bom retorno dos soldados portugueses, e pelos mortos dos milhares de soldados que ao longo de 28 anos de guerra perderam a vida em nome da independência portuguesa.

Ponte de Olivença

Elvas

Uma importante ponte estratégica que ligava a praça-forte de Elvas à praça de Olivença. Destruída pelas tropas castelhanas pela sua importância de ligação entre os dois reinos.

Castelo de Barbacena

Elvas

Alvo constante de assédio por parte dos castelhanos, em 1658, o Castelo de Barbacena foi mesmo forçado a render-se ao Duque de Ossuna. O mesmo viria a liderar as tropas inimigas na Batalha de Castelo Rodrigo.

Castelo de Vila Boim

Elvas

Um dos castelos que não conseguiu aguentar um conflito de quase trinta anos. Tinha mais de um século quando foi definitivamente destruído pela guerra.

Forte de Santa Luzia

Elvas

O Marquês de Torrecusa, o general castelhano que liderou a Batalha do Montijo, tentou assaltar o forte em 1644, sendo obrigado a retirar. O cerco a Elvas, por D. Luís de Haro, obteve uma resistência heroica que conduziu à Batalha das Linhas de Elvas.

Hospital Militar – S. João de Deus

Elvas

Sempre pequeno para a quantidade de feridos que recebia no contexto da Guerra da Restauração, contava com apenas 10 religiosos no ano da grande batalha de Elvas. Este hospital foi o primeiro da sua ordem em Portugal.

Paiol de Santa Bárbara

Elvas

Um dos muitos armazéns militares das praças portuguesas. Eram aqui guardadas todo o tipo de munições e armas a serem utilizadas durante a guerra.

Quarteis da Corujeira

Elvas

Existem quartéis espalhados por toda a cidade de Elvas, construídos pela necessidade de albergar militares nas várias defesas do reino de Portugal.

Batalha de Linhas de Elvas 1659

Elvas

É chegada a hora, Lusitanos, em que o vosso esforço e habilidade de braços são necessários para sustentar a coroa herdada com sangue. Se cairmos de novo em escravidão, compensar-nos-ão estes dias de liberdade, chamando-lhes de justiça.