Pontos de Interesse


registo | recuperar

Pontos de Interesse

Convento de Cristo

Tomar

Fundado por Dom Gualdim Pais, o Convento de Cristo era a sede da Ordem Templária em Portugal. Em conjunto com o Castelo, representam o culminar da Ordem sob a direção do Grão-Mestre Gualdim Pais. Destaque

Capela de São Jorge

Leiria

Mandada erigir por D. Nuno Álvares Pereira em 1393, no mesmo local estratégico onde estaria o seu estandarte durante a Batalha de Aljubarrota, e como agradecimento pela vitória portuguesa, a Capela de São Jorge situa-se no Campo Militar de São Jorge. Destaque

Museu Nacional de Arte Antiga

Lisboa

É aqui que se encontram os seis Painéis de São Vicente de Fora, supostamente pintados a óleo pelo artista português Nuno Gonçalves e que ilustram algumas das principais figuras da época d’Os Descobrimentos, a sociedade portuguesa da época e outras personalidades ainda por aferir. Destaque

Museu Militar de Lisboa

Lisboa

O maior museu do Exército em Portugal, inaugurado em 1926, o Museu Militar de Lisboa tem um acervo transversal que engloba uma grande exposição de armas, uniformes e documentos militares históricos. Destaca-se o pátio flanqueado por canhões, que conta a história de Portugal em painéis de azulejos desde a Reconquista Cristã até à 1ª Guerra Mundial.   Horário: Terça-feira a domingo, das 10h00 às 17h00 Destaque

Museu Militar do Buçaco

Em 1910, 100 anos depois da Batalha do Buçaco, o museu foi fundado para dar a conhecer a bravura do exército anglo-luso durante a Guerra Peninsular, contra as tropas napoleónicas. Dispõe de coleções de armas, uniformes e equipamentos utilizados na batalha e de painéis que contam a história do conflito.   Horário: Terça-feira a domingo, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00. Destaque

Museu Militar do Porto

O Museu Militar do Porto, inaugurado em 1980, dá a conhecer todos os acontecimentos político-militares relevantes que tiveram lugar na cidade desde as invasões francesas até 1927. Destaque para a sala dos figurinos em miniatura – que mostra a evolução do soldado desde a pré-história até à atualidade –, para o parque com peças de artilharia e para o pavilhão de armas, com várias peças de equipamento militar.   Horário: Terça a sexta-feira, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00; sábado e domingo, das 14h00 às 17h00. Destaque

Igreja S.João Batista

Tomar

Local de reunião e adoração dos Cavaleiros Templários, fundada pela ordem no século XII. Na época da sua fundação a Igreja era protegida por três santos representados perto da porta.

Igreja Sta Maria dos Olivais

Tomar

Aqui enterraram o corpo do Mestre Gualdim Pais, assim como todos os Mestres da Ordem Templária em Portugal – A Igreja de Santa Maria dos Olivais era o Panteão dos Mestres e local de adoração dos Cavaleiros Templários.

Sé de Elvas

Elvas

Na Sé de Elvas rezou-se pelo bom retorno dos soldados portugueses, e pelos mortos dos milhares de soldados que ao longo de 28 anos de guerra perderam a vida em nome da independência portuguesa.

Hospital Militar – S. João de Deus

Elvas

Sempre pequeno para a quantidade de feridos que recebia no contexto da Guerra da Restauração, contava com apenas 10 religiosos no ano da grande batalha de Elvas. Este hospital foi o primeiro da sua ordem em Portugal.

Paiol de Santa Bárbara

Elvas

Um dos muitos armazéns militares das praças portuguesas. Eram aqui guardadas todo o tipo de munições e armas a serem utilizadas durante a guerra.

Ermida de Alcaraviça

Estremoz

Antes da marcha em direção a Elvas, e ao socorro das suas praças e gentes, parou o exército numa pequena Ermida, perto das Vendas de Alcaraviça, chamada Ermida de Nossa Senhora da Orada.

Conj. Monumental de Alcáçova  

Estremoz

Por ordem da Rainha Regente Portuguesa, D. Luísa de Gusmão, foi construído um oratório em 1659, em ação de graças pela vitória portuguesa na Batalha das Linhas de Elvas.

Igreja de Vila Viçosa

Vila Viçosa

Proclamada por D. João IV, a 25 de Março de 1646, Padroeira de Portugal. Aos seus pés, o rei colocou a coroa portuguesa. E quantas vezes reconheceu o nosso herói, a proteção da Rainha dos Anjos, mãe da Monarquia de Portugal?

Museu do Oriente

Lisboa

O oriente é o tema principal deste museu que se situa, desde 2008, no edifício Pedro Álvares Cabral, em Lisboa. Gerido pela Fundação Oriente, tem coleções históricas, religiosas e artísticas relacionadas com a presença portuguesa na Ásia nos séculos XVI e XVII.

Museu Militar de Bragança

O Museu Militar de Bragança, que ocupa todos os pisos da Torre de Menagem do castelo, com um total de 165 salas expositivas, surgiu em 1929 pela vontade de preservar a memória das vivências militares da cidade. Muitas das suas peças foram doadas pelos próprios habitantes e contam uma história da evolução do armamento ligeiro entre os séculos XII e XX.

Museu Militar de Elvas

Criado em 2008, é um dos maiores museus do país, cujo acervo começa desde logo com a história das próprias infraestruturas. No seu interior, tem salas dedicadas à história do serviço de saúde do Exército e vários arreios militares (de infantaria, cavalaria, artilharia, etc.). No exterior, encontram-se expostas várias peças de artilharia pesada.   Horário: Terça-feira a domingo, das 09h30 às 12h30 e das 14h00 às 18h00 (de novembro a março); das 10h00 às 12h30 e das 14h30 às 19h00 (de abril a outubro).

Museu Militar dos Açores

Foi pensado depois da 1ª Guerra Mundial com o intuito de preservar o património histórico-militar do Exército português existente nos Açores, em escassez até então. Criado em 2006 no Forte de S. Brás, tem um acervo ainda em construção, mas já consegue retratar de forma cronológica, e que apela aos mais jovens, a história militar açoriana.   Horário: Terça-feira a domingo, das 10h00 às 17h30h.

Museu Militar da Madeira

Em exposição neste museu estão a história do armamento militar na Madeira desde o século XVIII e a evolução da construção da fortaleza de São Lourenço, onde se situa desde 1995. Possui uma coleção de antigas peças de artilharia em bronze e outra de armamento ligeiro, com iconografia sobre a história do Exército português no arquipélago.   Horário: Terça a sexta-feira, das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00.

Museu do Ar

Situado desde 1968 no “berço da Aeronáutica Militar em Portugal”, a Base Aérea de Sintra, o Museu do Ar pretende expor o património histórico da Força Aérea nacional. É atualmente tido como um dos 20 melhores museus de aviação do mundo por parte da crítica internacional, graças ao seu acervo de mais de 10.000 peças.   Horário: Terça-feira a domingo, das 10h00 às 17h00.

M. Marítimo Al. Ramalho Ortigão

A atividade marítima e a pesca algarvias são os temas dominantes neste espaço criado em 1962. O Museu Marítimo “Almirante Ramalho Ortigão” conta com três salas distintas onde estão expostos navios, instrumentos e utensílios de pesca, entre outros artefactos ligados ao mar. Integra também uma biblioteca versada em várias áreas da ciência.   Horário: Segunda a sexta-feira, das 14h30 às 16h30.

Navio-Museu de Santo André

 Antigo navio de pesca do bacalhau português, construído nos Países Baixos, fez a sua última viagem em 1997 e é hoje um polo do Museu Marítimo de Ílhavo, em Aveiro.

Navio-Hospital Gil Eannes

Antigo navio-hospital português, que terminou o serviço em 1973, prestava auxílio às embarcações portuguesas de pesca do bacalhau nas águas da Terra Nova, e na Gronelândia, que exigiam vários meses de estada. Hoje, é navio-museu no porto de pesca de Viana do Castelo.

Fragata D. Fernando II e Glória

O último navio de guerra inteiramente à vela da Marinha Portuguesa é hoje um espaço museológico situado na doca de Cacilhas. Foi construído na Índia Portuguesa e teve um período de serviço de 33 anos, terminado em 1878.

Submarino-Museu Barracuda

Em missão civil desde 2013, depois de quatro décadas de serviço e 52.000 horas de navegação, o último dos quatro navios da classe Albacora a sair do ativo é hoje espaço museológico na doca de Cacilhas.